Páginas

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Como elaboar um Projeto????



Se fizermos do projeto uma camisa-de-força para todas as atividades escolares, estaremos engessando a prática pedagógica. (Almeida, 2001)

Amigas educadoras, vejo uma enorme dificuldade de se montar Projetos Pedagógicos no decorrer do processo educativo, pois muitas vezes, achamos que estamos trabalhando com Projetos, porém não passa de um Plano de Aula que fazemos...nesse sentido pesquisei sobre a elaboração de Projetos para que nosso trabalho fique melhor.

Outra coisa importante:é preciso ter força de vontade para se trabalhar com Projetos, pois existem metas e cronogramas que devem ser seguidos até o final, por isso, é bom pensar bem antes de elaborar um, pois é preciso cumprí-lo para que se alcance o objetivo desejado!!!!

Aproveitem...
beijos carinhosos da Tia Amandinha


ELABORAÇÃO DE PROJETOS

1 Conceito

“ Projeto é um empreendimento planejado que consiste num conjunto de atividades inter relacionadas
e coordenadas, com o fim de alcan çar objetivos específicos dentro dos limites de um
orçamento e de um período de tempo dados”.
( PROCHONW, Schaffer, 1999 apud ONU, 1984)

2 Formulação de projetos

Um projeto surge em resposta a um problema concreto. Elaborar um projeto é, antes de mais nada, contribuir para a solução de problemas, transformando IDÉIAS em AÇÕES.
O documento chamado projeto é o resultado obtido ao se “projetar” no papel tudo o que é necess ário para o desenvolvimento de um conjunto de atividades a serem executadas: quais são
os objetivos, que meios serão utilizados para atingilos,
quais recursos ser ão necess ários, onde serão obtidos e como serão avaliados os resultados.
A organização do projeto em um documento nos auxilia sistematizar o trabalho em etapas a serem cumpridas, compartilhar a imagem do que se quer alcançar, identificar as principais
deficiências, a superar e apontar poss íveis falhas durante a execução das atividades previstas.

Alguns itens devem ser observados na formulação de projetos:

*Estabelecimento correto do problema deve ser significante em relação aos fatores de sucesso no negócio; deve ter dimensão administrável; deve ser mensurável.

*Identificação das pessoas e instituições a quem afeta resolver o problema, buscando criar vínculos com os mesmos desde o início do projeto;

*Busca adequada de fontes de financiamento.

3 Roteiro básico para apresentação de projetos

Os principais itens que compõem a apresentação de um projeto relacionamse
de forma bastante orgânica, de modo que o desenvolvimento de uma etapa necessariamente leva à outra.

Apresentação de um projeto deve conter os seguintes itens:

a) Título do projeto
Deve dar uma idéia clara e concisa do(s) objetivo(s) do projeto.

b) Caracterização do problema e justificativa
A elaboração de um projeto se d á introduzindo o que pretendemos resolver, ou transformar. De suma importância, geralmente é um dos elementos que contribui mais diretamente na
aprovação do projeto pela(s) entidade(s) financiadora(s).
Aqui deve ficar claro que o projeto é uma resposta a um determinado problema percebido e identificado pela comunidade ou pela entidade proponente.
Deve descrever com detalhes a regi ão onde vai ser implantado o projeto, o diagn óstico do problema que o projeto se propõe a solucionar, a descri ção dos antecedentes do problema,
relatando os esforços já realizados ou em curso para resolvelo.

A justificativa deve apresentar respostas a questão POR QUE?
Por que executar o projeto? Por que ele deve ser aprovado e implementado?

Algumas perguntas que podem ajudar a responder esta questão:
Qual a importância desse problema/questão para a comunidade?
Existem outros projetos semelhantes sendo desenvolvidos nessa regi ão ou nessa temática?
Qual a possível relação e atividades semelhantes ou complementares entre eles e o projeto proposto?
Quais os benefícios econômicos, sociais e ambientais a serem alcançados pela comunidade e os resultados para a região?

c) Objetivos
A especificação do objetivo responde as quest ões: PARA QUE? e PARA QUEM?
A formulação do objetivo de um projeto pode considerar de alguma maneira a reformulação futura, positiva das atuais condi ções negativas do problema.
Os objetivos devem ser formulados sempre como a solu ção de um problema e o aproveitamento de uma oportunidade. Estes objetivos são mais genéricos e não podem ser assegurados
somente pelo sucesso do projeto, dependem de outras condicionantes.

É importante distinguir dois tipos de objetivos:

Objetivo Geral:
Corresponde ao produto final que o projeto quer atingir. Deve expressar o que se quer alcançar na região a longo prazo, ultrapassando inclusive o tempo de duração do
projeto. O projeto não pode ser visto como fim em si mesmo, mas como um meio para alcançar um fim maior.

Objetivos específicos:
Corresponde às a ções que se propõe a executar dentro de um determinado período de tempo. Também podem ser chamados de resultados esperados e devem se realizar até o final do projeto.
somente pelo sucesso do projeto, dependem de outras condicionantes.


d) Metas
A metas, que muitas vezes s ão confundidas com os objetivos espec íficos, são os resultados parciais a serem atingidos e neste caso podem e devem ser bastante concretos expressando
quantidades e qualidades dos objetivos, ou QUANTO será feito. A definição de metas com elementos quantitativos e qualitativos é conveniente para avaliar os avanços.

Ao escrevermos uma meta, devemos nos perguntar: o que queremos? Para que o queremos? Quando o queremos?
Quando a meta se refere a um determinado setor da população ou a um determinado tipo de organização, devemos descreve-los adequadamente. Por exemplo, devemos informar a
quantidade de pessoas que queremos atingir, o sexo, a idade e outras informações que esclareçam a quem estamos nos referindo.

Cada objetivo específico deve ter uma ou mais metas. Quanto melhor dimensionada estiver uma meta, mais fácil será definir os indicadores que permitirão evidenciar seu alcance.

Nem todas as instituições financiadoras exigem a descrição de objetivos específicos e metas separadamente. Algumas exigem uma forma ou outra.

e) Metodologia
A metodologia deve descrever as formas e técnicas que serão utilizadas para executar o projeto.
A especificação da metodologia do projeto é a que abrange número de itens, pois responde, a um só tempo, as questões COMO? COM QUE? ONDE? QUANTO?

A Metodologia deve corresponder às seguintes questões:
a) Como o projeto vai atingir seus objetivos?
b) Como começarão as atividades?
c) Como serão coordenadas e gerenciadas as atividades?
d) Como e em que momentos haverá a participação e envolvimento direto do grupo social?

Deve se descrever o tipo de atuação a ser desenvolvida: pesquisa, diagnóstico, intervenção ou outras; que procedimentos (métodos, técnicas e instrumentos, etc.) serão adotados e como será
sua avaliação e divulgação.
É importante pesquisar metodologias que foram empregadas em projetos semelhantes, verificando sua aplicabilidade e deficiências, e é sempre oportuno mencionar as referências
bibliográficas.

Um projeto pode ser considerado bem elaborado quando tem metodologia bem definida e clara. É a metodologia que vai dar aos avaliadores/pareceristas, a certeza de que os objetivos do
projeto realmente tem condições de serem alcançados. Portanto este item deve merecer atenção especial por parte das instituições que elaborarem projetos.

Uma boa metodologia prev ê três pontos fundamentais: a gestão participativa, o acompanhamento técnico sistemático e continuado e o desenvolvimento de ações de disseminação de
informações e de conhecimentos entre a população envolvida.

f) Cronograma
O cronograma responde a pergunta QUANDO?
Os projetos, como já foi comentado, são temporalmente bem definidos quando possuem datas de in ício e término preestabelecidas. As atividades que ser ão desenvolvidas devem se inserir
neste lapso de tempo.
O cronograma é a disposição gráfica das épocas em que as atividades v ão se dar e permite uma rápida visualização da seqüência em que devem acontecer.

g) Orçamento
Respondendo à quest ão COM QUANTO? O orçamento é um resumo ou cronograma financeiro do projeto, no qual se indica como o que e quando ser ão gastos os recursos e de que fontes
virão os recursos. Facilmente podese
observar que existem diferentes tipos de despesas que podem ser agrupadas de forma homogênea como por exemplo: material de consumo; custos
administrativos, equipe permanente; serviços de terceiros; diárias e hospedagem; veículos, máquinas e equipamentos; obras e instala ções.
No orçamento as despesas devem ser descritas de forma agrupada, no entanto, as organiza ções financiadoras exigem que se faça uma descrição detalhada de todos os custos, que é
chamada memória de cálculo.

h) Revisão Bibliográfica
Referências bibliográficas que possam conceituar o problema, ou servir de base para a ação, podem e devem ser apresentadas. Certamente dar ão ao financiador uma noção de quanto o autor
está inteirado ao assunto, pelo menos ao nível conceitual/teórico.

Referências
IACZINSKI SOBRINHO, Antônio. Elaboração e execução de projetos.Florianópolis:UFSC/
SEPLAN/COPROJ,[199]. (Apostila de curso)
LAKATOS, Eva M ; MARCONI, Marina de Andrade.Fundamentos de Metodologia Cient ífica. São Paulo: Atlas, 1991.270p.
Referências
IACZINSKI SOBRINHO, Antônio. Elaboração e execução de projetos.Florianópolis:UFSC/
SEPLAN/COPROJ,[199]. (Apostila de curso)
LAKATOS, Eva M ; MARCONI, Marina de Andrade.Fundamentos de Metodologia Cient ífica. São Paulo: Atlas, 1991.270p.
PROCHNOW, Miriam; SCHAFFER, W.B.Pequeno manual para elaboração de projetos. Rio do Sul: APREMAVI7AMAVI7FEEC, 1999,( Apostila de curso).



Como elaborar um Projeto Pedagógico (retirado do site):
http://www.pedagogia.com.br/projetos/como.php


1. Como fazer um projeto?

Tema do Projeto – a questão apresentada pelo educador, pode não ser um problema para o aluno, por isso podemos permitir que os alunos definam os temas, que formulem problemas e coloquem o pensamento em funcionamento pela necessidade de entendê-lo melhor e alcançar soluções.

• Trabalho em grupo – é enriquecedor, pois cada um poderá contribuir de maneira criativa para realização de um trabalho coletivo (uma rede), de acordo com seu interesse, trocando idéias, discussões, ou melhor um processo de construção de cooperação.

2. Como fazer um projeto? Tema do Projeto definido por: alunos professores comunidade. Explorar uma questão; Definir os problemas; Soluções.

3. Como fazer um projeto? trabalhar em grupos enriquece o trabalho; Contribuição criativa; Troca de idéias e discussões.

4. Projeto: Nome/Título
• Justificativa (por que?)
• Objetivos (necessidades a alcançar)
• Atividades (o que fazer?)
• Estratégias (como fazer?)
• Acompanhamento (direcionamento)
• Avaliação (estímulo).

5. Como fazer um projeto? Acompanhamento do Projeto
• Avaliação do processo de desenvolvimento do aluno durante a realização do projeto.
• Perguntar.
• Contra-argumentar
• Orientar sem fornecer soluções.

6. Uso de mídias e tecnologia
•internet, jornais, rádio, tv, máquina fotográfica, filmadora etc.
•Pastas e sub-pastas; grupos; apresentação; outras ferramentas(power point,word, paint, porta USB, etc.)

7. Outras atividades paralelas:
• Show de talentos
• Exposição de desenhos
•Exposição de fotos
•Desfile de modas
•Painel de poesia
•Jogral
•Leitura de textos (Art. da Constituição Federal, Passagens históricas, etc.)
•Teatro.

DICAS:
- Estar sempre interagindo com os alunos;
- Dinamizar ao máximo as atividades;
- Avaliar cada tarefa, sem deixar que as atividades se acumulem muito;
- Incentivar a participação dos professores e dos alunos em todas as fases do projeto;
- Ler sempre sobre o assunto;
- Explicar detalhadamente cada atividade;
- Se colocar sempre a disposição para eventuais dúvidas;
- Acompanhar sistematicamente o desenvolvimento do projeto.

Verbos adequados à formulação de objetivos

IDENTIFICAÇÃO:Identificar,Reconhecer,denominar, apontar, indicar, designar,intitular,mostrar,rotular,assinalar,mencionar,evocar,determinar,refletir/citar.

DESCRIÇÃO: Descrever,caracterizar,expor,narrar,traçar,contar,listar,relatar,imitar,apresentar,enumerar.

COMPARAÇÃO:Comparar,,diferenciar,contrastar,relacionar,confrontar,igualar,discernir,separar,nivelar,discriminar,ligar,excluir/incluir,traçar paralelo.

CLASSIFICAÇÃO:Classificar,escolher,ordenar,numerar,separar,selecionar,distinguir,agrupar/reagrupar,categorizar,colecionar,dividir,subdividir,qualificar.


CONCLUSÃO:Concluir,deduzir,decidir,justificar,resumir,criticar/julgar,analisar,apreciar,examinar,conceituar,definir,generalizar.


APLICAÇÃO:aplicar,empregar,utilizar,construir,praticar,efetuar,executar,efetivar,criar,elaborar,confeccionar,explicar,inventar.

Exemplo de Projeto:


Projeto: “Estreitando os laços”



O laço e o abraço
“Como é engraçado!... Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço...
Uma fita dando voltas? Se enrosca...Mas não se embola , vira, revira, circula e pronto:
está dado o abraço. É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de braço.
É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido,
em qualquer coisa onde o faço. E quando puxo uma ponta, o que é que acontece?
Vai escorregando devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço.
Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido. E na fita que curioso, não faltou nem um pedaço.
Ah! Então é assim o amor, a amizade. Tudo que é sentimento? Como um pedaço de fita?
Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora, deixando livre as duas bandas do laço.
Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade. E quando alguém briga, então se diz - romperam-se os laços.-
E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum pedaço.
Então a amizade é isso... Não prende, não escraviza, não aperta, não sufoca.
Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço”.


APRESENTAÇÃO:



O texto acima ilustra o quanto o processo de construção de um relacionamento não acontece de forma mágica. A observância de alguns princípios norteadores são fundamentais nessa construção como, por exemplo, reconhecer que todas as pessoas são merecedoras da confiança, da amizade e do respeito dos outros. A pessoa é um ser em constante relação. Essa relação é estabelecida consigo mesma a com os outros, na tentativa de satisfazer as próprias necessidades. amadurecer a realizar-se.
A consciência desse complexo processo não pode ser adquirida através do estudo de conceitos teóricos, mas de uma vivencia que seja capaz de modificar a mentalidade, criando uma nova forma de conceber e vivenciar, na pratica cotidiana, uma nova postura que se refere as relações interpessoais no ambiente escolar. Num relacionamento autentico, cada um se interessa pelo outro de maneira genuína. Os direitos individuais terão que ser defendidos e respeitados, não poderão ser barganhados, pois estes existem por si mesmo. A tarefa num relacionamento esta em proteger os direitos das pessoas nele envolvidas.
Vivemos em relação com as outras pessoas, nas diversas esferas de nossa vida. cada uma com maneiras diferentes de perceber, de interpretar o que esta ao seu redor. Saber lidar com elas é uma arte necessária ao sucesso de qualquer atividade humana. A Equipe Pedagógica há de considerar o trato com as pessoas, incluindo a compreensão, a tolerância como formas de construir um espaço escolar marcado pela ação coletiva e participativa. Dentro desse processo, alguns fatores, que são citados a seguir, tomam-se evidentes e, portanto, fundamentais.

* Saber olhar é importante, pois, quando fatos a pessoas chegam a nossos olhos em sua maneira positiva de ser, conseguimos enxergar os valores a saberemos como aproveitá-los.
* Saber ouvir não significa ficar em silencio, demonstrar apenas paciência a escuta. mas o entendimento daqueles que falam.
* Saber, falar: mesmo que o que tenhamos a dizer seja difícil, e amenizar a situação com nossas palavras, tomando mais fácil o assunto.

A Equipe Pedagógica é responsável pela formação continuada do professorado, não é nenhum mágico com dicas na cartola, ao contrário do que muitos desejam. Promove estudos e reflexões para que juntos encontrem estratégias para melhorar o desempenho escolar dos alunos, a constituição da linha pedagógica da escola e muitas avalia de perto as crianças com dificuldades para detectar as lacunas no aprendizado.

Equipe Técnico-Pedagógica

Mônica Oliveira de Magalhães -Diretora
Célia Vieira Moreira-Orientadora Pedagógica
Alnecir Costa Pereira-Orientadora Educacional
Márcia Pontes Silva de Oliveira-Secretária

JUSTIFICATIVA:

Ao longo dos anos atuando na Equipe Pedagógica da rede municipal, um questionamento se faz necessário: "qual é o nosso verdadeiro papel na U. E.?". Torna-se, portanto, clara a necessidade das pessoas possuírem princípios que norteiem suas vidas para serem capazes de firmar relações construtivas com os que as cercam.

Um principio fundamental e acreditar que as demais pessoas são inerentemente boas, fato que possibilita a construção de um relacionamento pautado sobre as realidades da harmonia e do conflito, do desejo de ser melhor e do como somos, respeitando cada um dentro de sua individualidade a de sua busca de construir a construir-se.

Faz-se urgente a imprescindível que as relações entre os membros que compõem o ambiente escolar da CRECHE FAVO DE MEL estejam permeados pelo afeto, na certeza de que construir um novo modo de relacionar-se é uma arte.

OBJETIVO GERAL:

Valorizar construtivamente as diferenças existentes na U.E. ,que nos levem a aceitar, respeitar e tornar significativo o trabalho de todos no ambiente escolar, fazendo-se necessário a construção de novas relações para fundamentar o respeito mútuo , dentro do contexto no qual a instituição escola está inserida.

PERÍODO DE REALIZAÇÃO: Ano de 2009

POPULAÇÃO- ALVO:

Professores e Agentes Educativos da Creche

ETAPAS DO DESENVOLVIMENTO:

* Divulgação do projeto na U.E ;
* Organizar cronograma para atendimento individualizado as educadoras (aproximadamente 50min)
* Início do assessoramento aos componentes da U.E., afim de realmente estreitar os laços
* Avaliação e desempenho do projeto pelos envolvidos no mesmo.

AVALIAÇÃO:

* Através da participação e interesse de todos os envolvidos no projeto;
* Mudança de comportamento das educadoras mediante a assessoria prestada.

CONCLUSÃO:

O presente projeto não tem a pretensão de acabar com nossos encontros bimestrais (COC) ou os Grupos de estudos (GEs) promovidos pela U.E, mas partindo do pressuposto que só é valido o que é viável, é preciso saber tomar decisões em conjunto, trabalhar em parceria, estar aberto as necessidades, saber voltar atrás com segurança, saber integrar o grupo, buscando alternativas conjuntas.

Essas atitudes facilitam a articulação da Orientação Pedagógica e Educacional com os diferentes membros e setores da escola no ambiente escolar, É oportuno salientar que a Equipe Pedagógica tente descobrir, inventar, criar maneiras de estimular as diferenças existentes, pois precisamos de valores fortes que nos levem a aceitar, respeitar e tornar significativo o trabalho de uns com os outros para o bem de todos.

A Equipe Pedagógica que reconhece o trabalho do professor, sendo capaz de elogiá-lo, contribui para que a sua atuação seja eficaz, elevando a sua auto-estima. Nesse educador, pode-se perceber alguém que ama a própria profissão, que investe na sua atualização, que é capaz de estabelecer uma relação profunda e madura frente à opção professor, tendo consciência de suas possibilidades e buscando realizar-se como pessoa. Dessa forma, aprende a amar o trabalho e começa a descobrir valores importantes, tornando-se um profissional capacitado. Estreitando assim o ”laço”e evitando a formação de um ”nó” na Unidade Escolar.

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget